De ferramentas de BI avançadas passando pelo aprendizado de máquina e pela inteligência artificial, as empresas atualmente têm à mão diversas ferramentas para fatiar e cortar seus dados. Na medida em que os cientistas de dados e os líderes empresariais miram no grande potencial dessas novas tecnologias, corremos o risco de perder de vista o que é o mais importante de tudo: o dado em si. Afinal, visualizações extravagantes e análises preditivas simplesmente não importam se não tiverem os dados corretos alimentando-os.

Toda empresa precisa priorizar a coleta e estruturação de seus dados subjacentes sobre a análise que usa para compreendê-la. Aqui está o porquê:

Os dados serão enraizados em todas as partes de onde extraímos negócios

As empresas apenas começaram a compreender não só a complexidade dos dados, como também a profundidade de seu relacionamento com seus próprios funcionários. Todos os papéis e níveis de negócios precisam tomar boas decisões, e as melhores decisões são tomadas com os dados do usuário. Assim, cada departamento – não apenas o da equipe de ciência de dados – deve ter acesso a essa informação, do produto ao serviço ao cliente e também às vendas.

Já não basta apenas analisar as métricas macro em uma reunião mensal com todos as equipes envolvidas. As organizações devem integrar processos orientados a dados para a tomada de decisões. Pegue uma equipe de marketing moderna, por exemplo. Hoje em dia, os profissionais de marketing possuem uma grande quantidade de fontes de dados ricas, especialmente com a explosão de smartphones, tablets, plataformas de social media e pontos de contato digitais através dos quais uma marca pode interagir com seu público. Se todos esses dados forem coletados em um local centralizado, ele abre novas maneiras poderosas de entender o comportamento do cliente a longo prazo. Outros departamentos, como vendas, produtos e atendimento a clientes, também têm acesso a uma quantidade de dados sem precedentes.

Cada bit de dados contribui para entender o cenário como um todo

Como os dados desempenham um papel maior em todos os departamentos e níveis, as empresas devem considerar todos os seus dados como uma crescente coleção de oportunidades. Todo o conjunto de dados – CRM, CMS, ERP, software de marketing – contém uma infinidade de insights possíveis. Os achados que parecem insignificantes agora podem ser muito importantes a médio e longo prazo. É impossível saber de antemão quais dados importam, então as empresas precisam coletar o máximo possível. Isso permite que as empresas recuperem insights ao longo do caminho, mesmo que suas prioridades ou condições de mercado se alterem.

Insights são tão bons quanto os dados subjacentes

A qualidade dos dados é fundamental. Afinal, dados ruins levam a resultados ruins. Se você basear suas decisões em dados incompletos, torna-se mais difícil confiar nos resultados e, em último caso, corroe a confiança em uma cultura baseada em dados. Os dados limpos, completos e corretos são necessários para gerar insights palpáveis.

Vimos isso acontecer, por exemplo, durante as eleições presidenciais de 2016 nos EUA. A maioria das previsões foi baseada em resultados de pesquisas nacionais e estaduais realizados por telefone. Mas as pesquisas telefônicas são especialmente suscetíveis ao viés da não resposta, o que, em si, varia de forma selvagem de estado para estado. Isso afeta a previsão para o Colégio Eleitoral mais do que o voto popular geral, mas o Colégio Eleitoral é o que gera eleições. O resultado? Dados esticados produzindo uma previsão errada (e tida como certa, isso que é o pior).

O aprendizado de máquina ganhou um certo hype, e por uma boa razão. Mas não pode viver de acordo com seu potencial ousado, a menos que seja informado por uma base sólida: dados limpos e completos produzidos por uma organização que os trata muito bem em sua cultura. O termo “orientado a dados” existe há muitos anos, mas na economia acelerada e cada vez mais digital de hoje, ele precisará se tornar um mandatório cultural para as empresas em todos os lugares.

Fonte: insideBIGDATA